Uma História de Bullying

abril 15, 2018

Resultado de imagem para bullying hd

Olá Universo!

Recentemente eu li dois livros que abordavam esse tópico mundial. No post passado eu disse que faria um post de reflexão sobre o livro Confissões de Uma Garota Excluída, Mal amada e (um pouco) Dramática da Thalita Rebouças e me peguei pensando em como esses livros podem ajudar pessoas que passaram por esse período ou passam por ele.
Sinceramente não estava animada para fazer esse post porque reunir histórias minhas de bullying e de pessoas que eu conheço e amo dói bastante.
Resolvi não colocar o nome de ninguém e sim nomes falsos só para não revelar identidade ou até mesmo atingir alguém.


A maioria das histórias que conheço sobre bullying é por questões físicas, principalmente o peso e/ou cor da pele (no caso o Racismo).
* Duda * começou a gostar de um garoto, ele soube e se achou no direito de "zuar" ela diariamente fazendo piadinhas sem graça sobre seu peso.
Ela ficava muito triste com isso, mas levava em conta porque quando era menor estava acostumada a ver em filmes que quando um garoto enche o saco de uma garota ele gosta dela.
Só que isso foi ficando mais intenso até que * Renata * começou a se cortar. Começou apenas com marcas, mas depois com lâminas diversas, ela nunca se sentiu feliz por fazer isso, nunca se sentiu bem por não poder expressar seus sentimentos nem aos seus pais já que eles achavam que era total frescura dela, e isso foi virando uma grande, imensa, gigantesca bola de neve na vida de * Júlia *.
Numa reunião de pais e mestres a diretora disse a mãe de * Maria * que ela estava se cortando dentro da escola, a mãe dela então ao invés de chegar em casa e ajudá-la, perguntar o que estava acontecendo apenas a xingou e bateu nela dizendo que aquilo era falta de vergonha na cara e que se ela continuasse ela iria levar A surra de sua vida.
* Vinícius * ficou mais triste ainda, e assim conheceu a senhora Depressão, não foi fácil, ele se tornou uma pessoa fria, ignorante, nunca chorou na frente de ninguém, nunca mais.
Três anos depois * Diogo * estava um pouco melhor daquela crise, tinha superado ela por conta própria, havia decidido que nunca mais iria amar ninguém e assim o fez. Poderia até gostar de alguém, mas jamais amar.


Hoje eu, Maria, Ana, Diogo, Vinícius, todos os nomes citados e mais aprendemos que é sim muito difícil superar as más pessoas, mas é gratificante saber que aquela depressão, aquela tristeza quase nunca está presente, porque feridos já estamos, curados jamais ficaremos.


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO!

♥ Lembre-se você é incrível, você é necessário e você é uma pessoa maravilhosa. 





  • Share:

You Might Also Like

0 comentários